A incerteza sobre a interação entre os canabinóides e o sistema imunológico provoca certas dúvidas no que diz respeito ao consumo da cannabis medicinal durante a imunoterapia. Já proclamada como tratamento maravilhoso do cancro no futuro, a imunoterapia reabilita os glóbulos brancos para detetar e matar o cancro dentro do organismo. Entreanto, até agora, houve apenas um estudo que examinou como os canabinóides podiam afetar este processo – e os resultados foram problemáticos.

O estudo foi realizado no Centro Médico Rambam em Haifa, Israel. Os pacientes que tomavam a cannabis medicinal em simultâneo com o medicamento de imunoterapia para tratamento do cancro Nivolumab responderam 50% menos em comparação com aqueles que foram tratados por imunoterapia isolada. Curiosamente, os indivíduos que tomavam a cannabis medicinal com alto teor do THC responderam melhor à imunoterapia do que aqueles que tomavam o produto THC de baixa resistência.    Nenhumas alterações significativas foram notadas nas taxas de sobrevivência globais dos pacientes. 

Há também alguns relatos episódicos dos pacientes com cancro da Califórnia que afirmam que tinham tido alguns benefícios causados pela combinação da imunoterapia com um regime de tratamento com óleo de cannabis rico em CBD, tomando doses baixas sob a supervisão do médico. Além disso, o corpo de dados pré-clínicos pequeno mas crescente sugere que a combinação de CBD e THC com a quimioterapia convencional e radiação poderia ter um poderoso efeito sinérgico como tratamento de cancro. Mas estes resultados ainda não foram replicados em ensaios nos humanos.

A cannabis tem efeito imunossupressor quando há uma resposta hiper-imune, mas de outra forma também regula e corrige o sistema imunológico, trazendo equilíbrio ao organismo.

Apesar da falta da clareza sobre os canabinóides e imunoterapia, a predominância de dados científicos sugere que chegou a altura de abandonar a classificação imunossupressora antiga e errónea e abraçar a ideia de que os canabinóides são imunomoduladores bidirecionais. É o que o Dr. Mariano Garcia de Palau, médico espanhol especializado em cannabis e membro do Observatório Médico de Cannabis Espanho, observou durante a sua prática.

«Acredito que a cannabis tem efeito imunossupressor quando há uma resposta hiper-imune», diz o Dr. Garcia de Palau, “mas de outra maneira regula e corrige o sistema imunológico. De fato, é possível dizer que funciona como o sistema endocanabinóide, trazendo equilíbrio ao organismo”.

O que isso significa em termos práticos se Você usa a cannabis regularmente, tem um sistema imunológico comprometido ou está iniciando a imunoterapia? Sempre que possível, consulte o seu médico profissional. Ao mesmo tempo, só podemos esperar que as novas investigações científicas ajudem a esclarecer melhor a complexa relação entre o sistema endocanabinóide, a nossa resposta imunológica e os compostos da planta cannabis.

Mary Biles é jornalista, blogueira e educadora com formação em saúde holística. Ao viver entre o Reino Unido e a Espanha, Mary Biles está empenhada em relatar com precisão os avanços existentes na investigação médica sobre a cannabis. Este é o seu primeiro artigo traduzido do Inglês para o Português.

Categories: Cancer

0 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *