O Canabidiol (CBD) é um componente não-intoxicante da planta cannabis que tem provocado o interesse significativo entre os cientistas e médicos nos últimos anos – entretanto, como o CBD exerce o seu impacto terapêutico a nível molecular ainda está a ser investigado. O canabidiol é um fármaco pleiotrópico porque produz muitos efeitos através de múltiplas vias moleculares. A literatura científica identificou mais de 65 alvos moleculares do CBD.

Embora o CBD tenha pouca capacidade de ligação com qualquer um dos dois receptores canabinóides (CB1 e CB2), o canabidiol está a modular vários receptores não canabinóides e canais iônicos. O CBD também atua por meio de várias vias independentes do receptor – por exemplo, retardando a “recaptação” dos neurotransmissores endógenos (tais como anandamida e adenosina), aumentando ou inibindo a ação de ligação de certos receptores acoplados à proteína G.

Apresentamos a seguir alguns dos meios pelos quais o CBD provoca os seus múltiplos efeitos terapêuticos. 

RECEPTORES DE SEROTONINA

Jose Alexandre Crippa e os seus colegas da Universidade de São Paulo, no Brasil, bem como os colegas do King’s College em Londres realizaram uma pesquisa inovadora sobre o CBD e os correlatos neurais da ansiedade. Em concentrações altas, o CBD ativa diretamente o receptor de serotonina 5-HT1A (hidroxitriptamina), conferindo assim um efeito anti-ansiedade. Este receptor acoplado à proteína G está envolvido numa série de processos biológicos e neurológicos, incluindo (mas não se limitando a eles) ansiedade, dependência, apetite, sono, perceção da dor, náuseas e vómitos.  

5-HT1A é membro da família dos receptores 5-HT que são ativados pelo neurotransmissor de serotonina. Encontrados nos sistemas nervoso central e periférico, os receptores 5-HT estimulam uma série de cascatas intracelulares das mensagens químicas provocando uma reação excitatória ou inibitória, dependendo do contexto químico da mensagem.

O CBDA (ácido canabidiólico), a versão natural, não aquecida do CBD que está presente na planta cannabis, também tem uma forte afinidade pelo receptor 5-HT1A (ainda mais do que o CBD).Os estudos pré-clínicos indicam que o CBDA  é um potente antiemético, mais forte que o CBD ou o THC que também tem as propriedades anti-náuseas.

O nosso corpo produz endocanabinóides para ativar funções e padrões corporais essenciais.

Enquanto todos sabemos que o THC obviamente cause efeitos psicológicos, o CBD age num nível fisiológico, e seus benefícios medicinais estão apenas sendo descobertos.

Categories: Sobre a CBD

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *